Revoltado, Sérgio da Sac ataca imprensa, Durval Ferreira e colegas de parlamento

Sérgio da Sac

Revoltado com a repercussão de sua fala na Câmara de João Pessoa, o vereador Sérgio da Sac (PSL) usou a tribuna da Casa nesta quinta-feira (28) para atacar diretamente o Portal MaisPB e ao jornalista Écliton Monteiro. O parlamentar ainda insinuou os colegas têm “rabo preso”, acusou o presidente da Casa de pagar a imprensa para limpar o nome da Câmara e classificou a imprensa que cobre as atividades parlamentares de ser corrupta e cobrar suborno para divulgar ações dos vereadores.

“Aqui eu já fiz voto de repúdio à diversos veículos de comunicação… Eu não dou toco para sair matéria e dizer que eu sou bom”, disse o vereador, adiantando que pretende apresentar um ‘Voto de Repúdio’ ao Portal MaisPB e ao repórter Écliton Monteiro afirmando que o colega que “não assinar é porque tem o rabo preso”.

O parlamentar ainda insinuou que matérias que falam positivamente de seus colegas são fruto de suborno à imprensa. “Eu trabalhei na imprensa e sei como ela funciona. Jamais nenhum chega para mim, me pedindo uma ajuda que eu não possa dar, mas eu não pago para dizer que eu sou melhor vereador”.

Sérgio da Sac também atacou o presidente da Câmara Durval Ferreira (PP): “Nessa Casa não tem um presidente para defender a imagem dos vereadores, que todos eles (jornalistas) recebem da Câmara e esculhambam a imagem do vereador”.

Governista, o parlamentar disse, durante discurso, que não estava explicando sua fala “por medo do prefeito”.
Sérgio concluiu afirmando que vai seguir o conselho de sua filha: “Não receba tapa e dê beijo, dê tapa também”.

ENTENDA O CASO: Durante uma denuncia do vereador Rento Martins (PSB) de que o Samu de João Pessoa não está atendendo pacientes por falta de manutenção nas ambulâncias, Sérgio, em aparte, disse que “se todo mundo que fosse vomitar, precisar de um auxilio do Samu, ai João Pessoa poderia fazer um carro para cada pessoa”.

O caso apresentado pelo opositor, com um áudio do atendimento do 192- Samu – é um pedido de socorro de um pai para uma filha. No diálogo, o senhor Raniere Botelho pede auxilio de uma ambulância para socorrer uma paciente que passou mal, mas recebe da atendente a resposta que não havia ambulância disponível e, apesar do número de veículos na unidade do Samu em João Pessoa, algumas ambulâncias estavam quebradas por falta de manutenção. A jovem de 19 anos acabou tendo um AVC e estava aguardando um exame agendado, inicialmente, para mais de um ano e meio. Apesar da declaração, o vereador Sérgio da Sac não gostou de ter tido a declaração interpretada como “ironia”, deixando claro nesta quinta que esta é sua real interpretação sobre o atendimento de emergência.

 

Comentários

comentários