Líder comemora filiação de Cartaxo no PSD

O vereador Marco Antonio (PPS) – líder do prefeito Luciano Cartaxo na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) – comemorou o anúncio da saída do chefe do Executivo Municipal do PT para filiar-se ao PSD, nesta quinta-feira (17). De acordo com o parlamentar, a decisão facilita a ampliação do diálogo com os demais integrantes da base aliada e também da oposição, na Casa de Napoleão Laureano.

 

“Fiquei extremamente satisfeito com a decisão anunciada pelo prefeito Luciano Cartaxo. Foi uma atitude corajosa, digna de um homem público que pensa no melhor para a cidade. Ele deixa um partido que militou por muitos anos, que passa por uma grave crise política, para poder ampliar o diálogo em prol de melhorias para a cidade, e para a população. Isso é louvável”, comentou Marco Antonio.

 

O vereador afirmou que a filiação do prefeito ao PSD também facilitará as discussões em torno do seu projeto de reeleição, em 2016. Segundo ele, Cartaxo conseguirá agora dialogar livremente com parlamentares e lideranças de partidos aliados ao PT nacional, e também daqueles que hoje militam no campo da oposição ao governo federal, a exemplo do PSDB, Democratas e PPS.

 

“Já vínhamos tratando desse tema internamente na coordenação da bancada do prefeito na Câmara Municipal. Agora, ampliaremos esse diálogo com objetivo de manter as alianças e, se possível, aumentá-las com o apoio de partidos que dificilmente continuariam ao lado de Luciano Cartaxo devido ao cenário político nacional”, disse.

 

Sobre o PPS  – O vereador Marco Antonio ainda destacou que a decisão do prefeito também possibilitará uma possível continuidade da aliança com o PPS, partido que ele é filiado e que tem o vice-prefeito Nonato Bandeira, em apoio à reeleição de Luciano Cartaxo. “Essa também é uma das nossas metas. O PPS não se dá bem com o PT em nível nacional. Vamos dialogar internamente com o presidente Nonato Bandeira, com os vereadores Bruno Farias e Djanilson da Fonseca, e demais lideranças do partido. Nosso objetivo é a união de forças”, concluiu.

 

Política&etc

 

Comentários

comentários