Ministério Público vê ilegalidade na campanha de Ricardo e propõe multa

O Ministério Público Eleitoral da Paraíba reconheceu mais uma conduta vedada praticada pelo governador Ricardo Coutinho na campanha eleitoral pela reeleição, em 2014, e recomendou a condenação do governador e a vice, Lígia Feliciano, ao pagamento de multa de 50 mil UFIR.

 

O procurador eleitoral João Bernardo da Silva, acatou parcialmente as denúncias feitas pela Coligação A Vontade do Povo na Ação de Investigação Judicial Eleitoral, conhecida como AIJE de Pessoal, que acusa o governador de abuso do poder político e econômico ao praticar a nomeação e demissão em massa de servidores em ano eleitoral, contratação e demissão em período vedado, uso de servidores em horário de expediente e perseguição a médicos.

 

 

Para o advogado Eduardo Costa, que integra a assessoria jurídica da coligação, essa é “uma demonstração da ilegitimidade do mandato do governador”, que alcançou a reeleição à custa de práticas ilícitas e condutas vedadas pela lei eleitoral. A Aije de Pessoal tramita no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba e será julgada nos próximos dias.

Tweet about this on TwitterShare on FacebookEmail this to someonePrint this page

Comentários

comentários