Veja como os partidos devem se coligar na disputa pela vaga de vereador em JP

 

 

Um dia antes do prazo para início das convenções partidárias que definirão os candidatos e coligações, o Política&etc fez um levantamento com os partidos com representação em João Pessoa para saber como as legendas devem se posicionar nas eleições para vereador na Capital e aponta abaixo como devem ser as coligações proporcionais que apóiam os candidatos a prefeito:

 

Luciano Cartaxo (PSD)

PSD: Com 41 pré-candidatos, o PSD deve sair em uma chapa puro sangue. O partido tem cinco vereadores com mandato: Bira, Benilton, Professor Gabriel, Raissa Lacerda e Marmuthe Cavalcante e ainda conta com pré-candidatos como o ex-deputado Dr. Aníbal.

PMN, PSDC, PRB, SD: Esta é a configuração de mais uma coligação de apoio ao prefeito Luciano Cartaxo, mas enfrenta resistência do PMN que tem dois vereadores, Dinho e Santino,  32 pré-candidatos e pretende sair só. O PSDC é o partido do suplente João Corujinha e o Solidariedade tem o vereador João Almeida. Já o PRB é ligado ao deputado Pastor Jutahy que sempre indica um membro da Igreja Universal como candidato de seu grupo. Nas ultimas eleições, o PRB teve o 10 candidato mais votado, porém ficou sem mandato devido a coligação não ter alcançado o coeficiente eleitoral.

PCdoB: Com 40 pré-candidatos, o partido tem a pretensão de sair sem se coligar para a disputa pela Câmara, mas o vereador Helton Renê tem pedido a liderança do partido que aceite fazer uma coligação.

PP: Partido do presidente da Câmara de João Pessoa e do suplente Edson Cruz, o PP ainda não definiu a coligação, mas tem mais de 20 pré-candidatos.

PHS: Partido do líder do governo, Marco Antônio, e do vereador Pedro Coutinho, o PHS ainda não tem definições sobre a coligação proporcional.

 

Cida Ramos:

PSB, PV, e PRP: Essa coligação tem sido trabalhada pelo PSB, mas pode ser alterada de acordo com os interesses nas convenções. O PSB tem uma lista com 27pré-candidatos e já tem dois vereadores: Renato Martins e Zezinho do Botafogo. Na lista dos socialistas ainda aparecem nomes como a da suplente Sandra Marrocos que esta ocupando o mandato, o filho dos deputados Hervásio Bezerra e Edmilson Soares, além do ex-secretário estadual Tibério Limeira.

PROS, PRTB: O PROS trabalha para ter todos os candidatos e sair só, mas deve se aliar ao PRTB.

PR, DEM: Cotado para esta na coligação com o PSB, o DEM pode ficar com o PR que conta com os vereadores João dos Santos e Djanilson da Fonseca.

PSL,PPL: Os dois partidos vão se unir e contam com dois vereadores, Lucas de Brito e Felipe Leitão.

 

PPS, PTdoB: Os dois partidos já fecharam as portas para novas legendas e vão lançar 41 candidatos. O vereadores Bruno Farias e Chico do Sindicato, além do ex-deputado Toinho do Sopão estão na coligação.

 

Wilson Filho (PTB)

PTC: Com 41 pré-candidatos o PTC pretende sair só na disputa para o legislativo. Boa parte dos que devem disputar as eleições pela legenda já disputou outras vezes, mas não foram eleitos.

PTB, PMB, PTN: Os três partidos vão se coligar e lançar 41 candidatos. A coligação conta com nomes como o do ex-deputado Major Fábio, Fernando Milanez (filho do vereador de mesmo nome), Marcos Bandeira que já foi suplente e outros.

 

Manoel Junior (PMDB)

 

PMDB, PSC: Os dois partidos vão sair juntos na proporcional, o PMDB tem 40 nomes como o dos ex-vereadores Nadja Palitot e Mangueira, além do secretário do partido, Diego Amaranto, que conta com apoio de José Maranhão, Já o PSC conta com o vereador Bosquinho.

Vitor Hugo (PSOL)

O PSOL e PSTU vão repetir a coligação majoritária e lançar 27 candidatos.

 

Charliton Machado (PT)

O PT vai replicar a chapa puro sangue da majoritária e deve ter 30 candidatos. O partido elegeu três vereadores em 2012, mas permanece apenas com um, o vereador Fuba.

 

PCO – Partido que tradicionalmente sai só em João Pessoa.

 

Rede Sustentabilidade: Sem definição oficial, o partido tem sete pré-candidatos.

 

PSDB: Com três vereadores: Eliza Virgínia, Marco Vinicius e Luis Flávio, os tucanos ainda não definiram o rumo na proporcional.

 

Écliton Monteiro 

 

 

Comentários

comentários