Veja as notas do Informe deste sábado

Novato na granja.  O governado Ricardo Coutinho confirmou que vai receber o suplente de deputado Aníbal Marcolino na próxima semana e disse que esperar a continuidade do voto que era de Jullys Roberto com o governo na ALPB.

E a recepção. Tem vários aliados do governador que estão preferindo ficar calados sobre a chegada de Aníbal para o grupo governista, mas um dos parlamentares não aguentou e definiu a situação como “retrocesso”.

Um pé para fora. O deputado federal Veneziano Vital foi afastado pelo PMDB das atividades partidárias e definiu o partido como “autoritário”.  A medida do comando nacional da legenda era o pezinho que Vené esperava para justificar sua saída.

Rodrigo Maia. “A reforma política não parece a melhor. O texto original era para que o fundo partidário fosse reduzido ao longo do tempo. A sociedade não concorda com esse valor alto. Como permanente, acho muito grave”.

E o rombo? A  proposta de criação de um fundo partidário no valor de R$ 3,6 bilhões para financiamento das eleições a partir de 2018 foi aprovado na comissão especial que trata a Reforma Política. Nessa hora os deputados não lembraram da crise.

Reação. Uma frente suprapartidária contra o “distritão” foi criada com membros da oposição e  do governo alojando membros do PT, PC do B, PSOL, PR, PRB, PHS, PSD, PSB e PDT.

 

 

Leia coluna completa no Jornal Correio da Paraíba

Comentários

comentários