Filiados do PSL ameaçam debandada se comando passar para Julian Lemos e pedem saída do empresário da coordenação da campanha de Bolsonaro

A informação de que o empresário Julian Lemos pode assumir o comando do PSL na Paraíba tem deixado desgostosos os filiados históricos do partido, que ameaçam deixar a sigla caso a notícia se concretize. Em contato com o Blog, o fundador Victor Alberto Souza disse que o grupo não aceita uma mudança que possa corromper os ideais do PSL e prejudicar a integridade do partido.

VEJA MAIS: Julian Lemos rebate insatisfeitos e promete “invasão” de novos filiados ao PSL a partir de sexta

Victor lembrou matéria veiculada no Jornal Folha de São Paulo trazendo informações de que Lemos foi por três vezes alvo da Lei Maria da Penha, acusado de agressão pela irmã e pela ex-mulher em casos que ocorreram em 2013 e 2016. Ele ainda citou uma nota assinada por grupos de direita que circula nas redes sociais informando que Julian Lemos foi condenado em primeira instância por crime de estelionato.

“Esse tipo de postura não corresponde aos ideais traçados por nós quando decidimos fundar o PSL na Paraíba e, portanto, não temos motivo para permanecer caso este cidadão assuma o comando da legenda”, garantiu Victor Souza.

Na nota que circula nas redes, os grupos de direita pedem a saída de Lemos do cargo de coordenador regional do deputado Jair Bolsonaro no Nordeste por entender que a postura dele não condiz “com a moral e ética que a direita” e o próprio Jair representariam.

Comentários

comentários