Presidente do Porto de Cabedelo acusa Trócolli de propagar informação errada e nega privatização

Presidente da Companhia Docas, responsável pelo Porto de Cabedelo, Gilmara Temóteo, usou as redes sociais para negar que o Porto esteja sendo privatizado e que operações estejam sendo retiradas de Cabedelo. Ela ainda acusou o deputado estadual Trócoli Júnior de propagar falsa informação sobre as operações da Transpetro na Paraíba.

Em outra postagem, ela divulgou uma nota onde nega a privatização da unidade. Veja:

 

 

Aproveito este espaço para esclarecer que não está em curso nenhum processo de privatização do Porto de Cabedelo, ou de parte do Porto, como foi noticiado equivocadamente por alguns veículos de comunicação da Paraíba, repercutindo informação sobre aprovação do Conselho do Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do Governo Federal.

O Conselho aprovou o leilão de concessão de sete terminais portuários em todo país, sendo três na retroárea do Porto de Cabedelo.

Como já frisei, a informação foi repercutida de forma equivocada em alguns sites e blogs, que classificaram os leilões como privatização. O que existe de fato é que o Governo Federal vai realizar licitações, na modalidade leilão, para assinatura de novos contratos de arrendamentos em alguns portos do país.


Atualmente, o Porto de Cabedelo possui 8 áreas arrendadas a empresas privadas, sendo 3 dessas áreas passíveis de leilões, pois seus contratos não permitiram novas prorrogações.

Nessas áreas encontram-se instalados três terminais de graneis líquidos, que, a partir da assinatura dos novos contratos, deverão gerar um investimento total de R$ 80 milhões na modernização e expansão do Porto paraibano.


Por tanto, cabe-nos tranquilizar toda comunidade portuária de que a administração do Porto de Cabedelo continuará com a Companhia Docas da Paraíba, que por sua vez, trabalha incansavelmente para garantir investimentos e melhorias, contando com total apoio do governo do Estado.

Comentários

comentários