60% dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço só procuram médico com doença avançada

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que 1.690 casos de câncer de cabeça e pescoço devem ser registrados na Paraíba. Cerca de 60% dos pacientes que procuram um especialista já estão com tumores avançados na cabeça e pescoço. O assunto será debatido durante sessão especial, de autoria do deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), realizada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), junto ao Programa de Endodontia e Reabilitação Oral de Pacientes com Câncer (ERO), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), nesta sexta-feira (10), a partir das 10h.

Numa tentativa de contribuição para redução dos casos de câncer de cabeça e pescoço na Paraíba, o ERO tem por finalidade prevenir, reabilitar, educar e tratar aqueles que necessitam de uma assistência integral e humanizada na luta contra o câncer. Por meio do projeto, interdisciplinar – atuam estudantes e professores dos cursos de Odontologia, Direito, Nutrição e Psicologia –, é possível que as pessoas acometidas pelo câncer possam obter suporte para reconstruir seu projeto de vida.

“Esse é um tipo de câncer não muito comum, mas as pessoas precisam ser alertadas para o risco. Por isso, propomos a realização dessa sessão especial, para que os profissionais que compõem o Programa de Endodontia e Reabilitação Oral de Pacientes com Câncer para discutirmos mais a fundo esse problema. Além disso, é um programa que possui grande função social e precisa ser conhecido pela sociedade, seja ela acometida pelo câncer ou não”, destacou Tovar.

O parlamentar destacou que durante a sessão especial serão discutidos os resultados de programas de humanização na saúde através de cuidados paliativos, a situação dos pacientes oncológicos do Estado da Paraíba, além da reabilitação dessas pessoas.

 

Comentários

comentários