O silêncio de Lígia deixará Ricardo sem opção; veja o Informe

A vice-governadora Lígia Feliciano vem acompanhando em silêncio as movimentações do PSB para lançar João Azevedo como candidato a governador. Todas as vezes em que falou publicamente sobre as eleições de 2018, ela faz questão de frisar que esta com Ricardo Coutinho até o fim, seja do governo dele, seja do mandato.

Herdeira natural do governo com uma saída do governador do mandato, caso ele entre na disputa de 2018, Lígia não cai nas cascas de bananas e se mantém fiel a Ricardo, mesmo sendo escanteada do processo pelos socialistas.

Há quem diga que o “fico” de Ricardo nunca existiu e quem acompanha a política pouco acredita nele, mas com todos os cenários postos, Lígia vem sendo tão discreta e fiel ao governador que vai lhe deixar sem opção, caso o socialista deixe o governo em abril. Apoiar uma candidatura de Lígia, rifando Azevedo outra vez, não seria novidade.

 

Torpedo de Estela. “Acho que é cedo pensar uma chapa ‘puro sangue’ e é cedo pensar em um nome de composição”, disparou a deputada ao analisar a tese de Adriano Galdino que se escalou para ser candidato a vice-governador em uma chapa encabeçada pelo secretário João Azevedo. Ela tratou de cortar o mal pela raiz, ou cortar a tese do colega.

 

Cantos da sereia. Vendo a sua proposta de candidatura ao governo do estado do PSDB longe de uma realização, Romero Rodrigues acompanha bem afastado a especulação de uma aproximação sua dos governistas. Não é marinheiro de primeira viagem.

 

Antídoto. Médico, o vice-prefeito de João Pessoa afirma que a oposição esta imunizada contra as investidas de governistas para separar a aliança das oposições. “Estamos vacinados e estaremos juntos em 2018”.

 

Sem vontade. Sondado para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, o presidente da Câmara de João Pessoa, Marcos Vinicius, já avisou que não tem interesse. “Eu fico onde estou”.

 

Caixa. As prefeituras da Paraíba começam a receber, a partir da próxima quinta-feira, R$8,6 milhões junto ao repasse do Fundo de Participação dos Municípios. O dinheiro extra é fruto da repatriação de recursos não declarados de brasileiros no exterior.

 

Missão de Aguinaldo. Líder da bancada governista na Câmara Federal, o paraibano foi um dos escalados pelo presidente Michel Temer para mapear os aliados que o governo pode contar na votação das reformas. Os desertores devem perder espaço no governo.

 

Modernização. A Câmara de João Pessoa vai iniciar esta semana a analise de atualização do Regimento Interno e da lei Orgânica da cidade. A Mesa afirma que já esta tudo pronto para começar a votação.

 

 

Jornal Correio da Paraíba

Comentários

comentários