“Arte” com homem nu e criança causa revolta na PB, Pastor Estevam convoca população a protestar e deputado desabafa

A “performance” de um ‘artista’ nu no Museu de Arte Moderna (MAM), no Ibirapuera, Zona Sul de São Paulo, gerou polêmica nas redes sociais. Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostra quando uma criança, de aproximadamente quatro anos, toca no pé do homem.

Pastor da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, uma das maiores igrejas evangélicas do Nordeste, o pastor Estevam Fernandes usou as redes sociais para expressar sua indignação e convocar a população a protestar contra a erotização infantil. “É uma vergonha essa arte que esconde uma indução explícita à pedofilia e à erotização precoce de crianças. Vamos todos protestar! ”, disse o religioso nas redes sociais.

O deputado estadual Bruno Cunha Lima também demostrou indignação nas redes sociais:

ESSA “SUB CULTURA” DOENTIA NÃO ME REPRESENTA! “Liberdade” sem consciência não passa de ruína da alma. Expor uma criança na primeira infância à sexualização precoce como se fosse algo natural não é normal, além de crime é fruto de um liberalismo doente e de um relativismo moral barato, mas que nos sai muito caro, que julga tudo como “certo”, onde a máxima que impera é a de que “o importante é ser feliz”, de que “vale tudo”. Cada vez mais, essa busca desmedida pela “felicidade” e pelo prazer instantâneo e imediato tem arruinado nossa vida – famílias têm sido destruídas, jovens estão afundados nas drogas, o dinheiro é senhor de muitos, estamos negociando a nossa moral e os nossos valores em troca de nada.

Será possível que não estão vendo o mal que estão fazendo ao nosso futuro? Essa não é a “cultura” que eu quero para mim e, muito menos, para meus filhos que virão. Estamos cada vez mais distantes daquilo que o Senhor nos ensinou e nos deixou por mandamentos.

A autoridade moral da sociedade é, sem dúvida, o início de tudo!

Há poucos dias, ouvi uma frase de Gilberto Dimenstein e concordei com ela. Em outras palavras, ele disse que o brasileiro, de modo geral, espera muito do Estado e pouco de si mesmo, o que gera uma espécie de cidadania ‘mi-mi-mi’, onde tudo é culpa da classe política. O mais interessante é o fato de que o sujeito se vê como parte do problema, mas não da solução. Ele considera o Estado corrupto, mas se coloca como dependente dele em muitos aspectos.

Chega de “teoria da prosperidade” na igrejas enquanto promovem o desmantelamento da família brasileira. Não podemos assistir a isso parados. Precisamos voltar ao princípio das coisas, precisamos nos voltar àquilo que o Senhor nos ensinou, às boas práticas, ao respeito, à doutrina cristã, precisamos lutar pela nossa moral. O pr Jackson Jacques disse uma coisa certa e é bem verdade que Deus cobrará muito desses pedófilos, mas cobrará muito mais do seu povo, que tinha a responsabilidade e nada fez, dos falsos mestres que apenas emocionaram o povo, mas não ensinaram as Escrituras, dos líderes que tiveram a chance mas negaram aquilo que Deus nos deixou por lei.

Comentários

comentários