João Azevêdo explica exoneração de assessor investigado na Operação Calvário e sobre sindicância

O governador João Azevêdo (PSB), durante a primeira reunião de monitoramento das ações da Segurança Pública de sua gestão, falou sobre a demissão de Leandro Nunes Azevêdo, principal assessor da secretária de Administração, Livânia Farias. Segundo bastidores, ele estaria sendo investigado pelo GAECO na Operação Calvário, que investiga a existência de uma organização criminosa dentro da Cruz Vermelha.

De acordo com Azevêdo, Leandro foi exonerado à pedido. “Houve uma solicitação por parte do próprio funcionário que pediu exoneração. Ele se sentiu incomodado de ter sido citado na ação e pediu exoneração”, explicou o gestor estadual.

Já sobre possíveis novas sindicâncias na gestão da Cruz Vermelha durante seu mandato, o governador explicou que fez a intervenção justamente para assegurar o trabalho dentro dos hospitais e que esta é sua responsabilidade como gestor.

Confira a fala de João Azevêdo na íntegra:

“Nós estabelecemos uma intervenção exatamente porque nós não podemos por em risco o trabalho que é prestado pelo hospital. É isso que me preocupa: o atendimento à população. Fazendo a intervenção, a secretaria tem 90 dias para estabelecer os procedimentos e fazer as mudanças necessárias, afinal a própria Cruz Vermelha Nacional fez uma intervenção na Cruz Vermelha do Rio Grande do Sul com a qual nós temos um contrato, então por responsabilidade do governador ele tem que se preocupar é com a prestação de serviço e o hospital está funcionando normalmente. Nossa preocupação é que não perca isso.”

 

 

Bastidores da Política

Comentários

comentários