João Azevêdo sai em defesa de secretários e descarta afastamento de alvos da Operação Calvário : “Não significa culpabilidade”

O governador João Azevêdo (PSB) descatou a possibilidade de exonerar dos cargos os secretários Livânia Farias e Waldson de Souza, Administração e Planejamento respectivamente, por eles serem citados na Operação Calvário do Ministério Público, que investiga desvio de verbas públicas pelas organizações sociais que gerem hospitais na Paraíba.

“Os dois secretários foram objetos de mandado de buscas para recuperação de documentos que o Ministério Público entendeu fazer isso. Não significa culpabilidade. Os fatos que levaram a essa decisão referem-se ao fato de Waldson ter sido secretário de Saúde e Livânia ter feito a licitação. Não se pode julgar e nem condenar por antecipação”, falou João.

Terceirização

O governador continua defendendo a manutenção da terceirização no setor. Segundo ele, foi isso que fez mudar a qualidade dos serviços. “O modelo está correto. É preciso que se levante questões. A intervenção está levantando se há algum tipo de problema na relação entre as Cruz Vermelha e seus fornecedores e não na relação com o governo”, acrescentou.

 

 

 

 

Do Portal Correio

Comentários

comentários