Advogado de acusados de estupro no GEO diz que exames não confirmaram violência sexual

O advogado criminalista Aécio Farias assumiu o caso dos adolescentes de classe média-alta acusados de cometerem estupro contra três estudantes no Colégio Geo Tambaú. Ao que parece a linha de defesa dos acusados já está traçada: dizer que nada aconteceu. O advogado afirma que exames médicos não diagnosticaram a violência sexual nas vítimas.

Aécio disse ainda que já solicitou a antecipação de audiência para solicitar a liberdade dos acusados que estão apreendidos no CEA, em João Pessoa. O processo correm em segredo de justiça.

O advogado lembrou, ainda, do caso da Escola Base, em São Paulo, em que os proprietários foram acusados de estupro contra os alunos, tiveram a vida destruída, a escola depredada e, ao final, foi provada a inocência deles e diversos meios de comunicação foram condenados a pagar altas indenizações. “É absurdo o que estão fazendo com esses rapazes, expondo suas fotos, taxando-os de estupradores sem nem conhecerem o processo. Espero que essas mesmas vozes que os atacam também ecoem quando souberem da verdade.”

 

VEJA MAIS:

MP abre inquérito para apurar conduta do Geo Tambaú no caso dos estupros contra crianças

 

Áudio vazado de reunião com pais de alunos mostra que Geo teria ‘abafado’ abuso sexual e pais demonstram indignação

 

Após divulgação de abusos sexuais na escola, Colégio Geo emite nota, mas não cita abusos

 

Geo Tambaú: criança era abusada por adolescentes dentro de banheiro da escola e caso vira operação da polícia

Comentários

comentários