Áudio vazado de reunião com pais de alunos mostra que Geo teria ‘abafado’ abuso sexual e pais demonstram indignação

Um áudio vazado de uma suposta reunião ocorrida nesta segunda-feira (11) entre pais de alunos e a diretoria do colégio Geo mostra que a escola teria abafado o suposto caso de abuso sexual praticado por adolescentes contra um menino de 8 anos, em maio do ano passado, na unidade de Tambaú, em João Pessoa. O áudio mostra ainda a revolta de muitos pais porque a escola não informou sobre o fato, não tomou providências e anunciou hoje que somente a partir de amanhã os alunos serão acompanhados por um adulto quando forem ao banheiro.

Três adolescentes, entre 12 e 17 anos foram apreendidos nesta segunda-feira (11) pela Polícia Civil, por determinação judicial, e um outro ainda não teria sido localizado.

O áudio da reunião que foi divulgado pelos próprios pais nas redes sociais mostra a revolta de diversos responsáveis que têm crianças estudando na escola. Eles questionam o fato da direção não ter tomado providências quando soube do ocorrido ainda no ano passado.

ESCUTE O ÁUDIO.

 

O diretor-geral das unidades Geo Tambaú e Geo Sul, identificado como Roberto, alega que a escola fez “uma série de encaminhamentos para que a gente pudesse entender o fato em função de estar envolvendo menores de idade”, mas ao mesmo tempo diz que “esse processo não foi finalizado” e que “estava sendo encaminhado em segredo de justiça”.

“Me surpreende o fato de, hoje, algumas mídias terem divulgado até algumas imagem dos alunos, dos pequenos, dos menores, o Jurídico vai tomar conta disso”, disse o diretor na reunião com os pais.

 

VEJA MAIS:

Geo Tambaú: criança era abusada por adolescentes dentro de banheiro da escola e caso vira operação da polícia

Ministério Público descobre mais uma vítima de abuso sexual no Colégio GEO

Após divulgação de abusos sexuais na escola, Colégio Geo emite nota, mas não cita abusos

Após divulgação de abusos sexuais na escola, Colégio Geo emite nota, mas não cita abusos

 

A denúncia dos pais da criança vítima do abuso gerou um inquérito policial, mas segundo o diretor, muitas vezes eles chegaram a questionar o fato do abuso ter ocorrido ou não.

“A partir de amanhã toda criança que precisar ir ao banheiro vai ser acompanhada por uma educadora, independente de ser menino ou menina”, disse.

Depois dessa informação, os pais abandonaram a reunião, revoltados com o fato da escola anunciar a providência somente a partir de amanhã, após o abuso sexual ter sido divulgado pela imprensa.

 

 

 

Do ClickPB

Comentários

comentários