Cruz Vermelha pagou milhões a empresa que cobrava mais que o mercado, apesar do TCE orientar fim de contrato

Dados do Tribunal de Contas do Estado aponta que a empresa CHILLEER SERVIÇOS LTDA (CNPJ 14.309.415/0001-56)  teria sido criada para prestar serviços ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, com um contrato com a OS Cruz Vermelha, cobrando acima do valor de mercado. O TCE relata que a empresa foi criada um mês antes de receber o primeiro pagamento, em agosto de 2011, e que recebeu até 2018 R$ 2,7 milhões (2.738.314,87).

“Constata-se que a empresa foi iniciada em 16/09/2011, apenas um mês antes do primeiro pagamento realizado em seu favor pela Cruz Vermelha, o que denota, minimamente, que a empresa sequer teria experiência comprovada. Verifica-se que o valor desembolsado pela Cruz Vermelha Brasileira em favor da empresa, desde o ano de 2011 até o presente exercício foi de R$2.738.314,87”, diz alerta do TCE mostrando a falta de experiência da empresa fundada por dois jovens.

O TCE orientou a Cruz Vermelha a rescindir o contrato, o que não foi feito, e afirma que a economia de recursos públicos a manutenção do sistema de refrigeração executado por equipe própria “reduziria drasticamente” o custo a  ser pago.

O TCE ainda relata que a mesma empresa perdeu várias licitações do governo do estado por cobrar, em média, 25% a mais que as empresas ganhadoras da disputa.

 

Os recursos destinados à Cruz Vermelha estão sendo investigados pelo Ministério Público, com a Operação Calvário, e levou algumas pessoas a prisão, como a ex-secretária de estado, Livânia Farias, por criação, segundo o MP, de uma Organização Criminosa para desviar recursos públicos através da OS Cruz Vermelha,

 

Comentários

comentários