Famene entra em contato com o Política&etc e apresenta argumentos para não garantir financiamento no curso de medicina, mas diz que busca solução

A Faculdade de Medicina Nova Esperança encaminhou a redação do Política&etc, nesta terça, uma nota onde conta sua versão sobre a falta de financiamento para os estudantes da instituição. Alegando que não foi procurada pelos pais de alunos que veem promovendo protesto contra a falta de financiamento e valor cobrado na mensalidade, a Famene diz que está inviabilizada de aderir aos programas de financiamento, mas afirma que está a disposição para buscar solução ao impasse.

Veja a íntegra da nota:

A Faculdade de Medicina Nova Esperança – Famene vem a público esclarecer os seguintes fatos sobre os assuntos veiculados recentemente na imprensa e nas redes sociais:

Em data de 17 de maio de 2019, foi realizada na diretoria da Famene uma reunião aprazada pelo senador Vital do Rego, tendo em vista que até a presente data não houve nenhuma solicitação formal para uma reunião com a direção da Instituição por parte de alunos ou de seus pais, que se fizeram presentes, além do senador citado, e as pessoas convidadas pelo mesmo: pais de alunos e alunos, e representantes do Banco do Nordeste do Brasil/Paraíba, em que foram tratados os seguintes pontos:

1) Fies – Foi cientificado a todos os presentes que a Famene como uma instituição privada de ensino superior, por lei não está obrigada a aderir ao FIES, e que a mesma fez adesão ao aludido financiamento estudantil até o 2º semestre do ano de 2017, ocasião em que o MEC/FNDE publicou a Portaria nº 209, de 7 de março de 2018, DOU n. 46, seção 1, p. 6, 7 e 19, artigo 20 e seus parágrafos, onde exige das IES que aderirem à modalidade FIES deveriam participar do risco do financiamento, com contrapartida de 25% brutos, a ser depositada em cota única, para garantir os pagamentos da inadimplência do Fies.

2) BNB – Financiamento via Banco do Nordeste do Brasil. Os representantes do BNB informaram que o financiamento pelo aludido banco também exige da IES a participação do risco financeiro, com uma contrapartida de 25% sobre todos os contratos financiados pelo banco, o que inviabiliza a Famene a realizar o contrato de financiamento com o BNB.

3) Quanto à negativa ao diálogo – Como já foi esclarecido anteriormente aos presentes, não foi solicitada nenhuma formalização, via Secretaria-Geral ou na Direção da IES, nenhum agendamento de reunião para tratar desse assunto ou de quaisquer outros que tenham relação com essa problemática. Esclarecemos, ainda, que nosso aluno sempre teve (e tem) vários canais de comunicação abertos irrestritamente ao nosso discente e/ou a seus responsáveis.

Ao final da reunião, o diretor da Famene se dispôs a acompanhar o senador Veneziano com os pais dos alunos à Caixa Econômica Federal, e a Fortaleza ao Banco do Nordeste do Brasil, demonstrando, mais uma vez, a disposição da IES em se manter aberta ao diálogo, como sempre fez.

A Famene esclarece, por fim, que mantém bolsas de Prouni para seus alunos, assim como alunos da Facene, contribuindo para que todos tenham acesso à educação de qualidade no país. A Faculdade de Medicina Nova Esperança (Famene) é uma das 19 escolas de medicina do País, sendo única na Paraíba, com selo de qualidade do Sistema de Avaliação e Acreditação dos Cursos de Medicina do Brasil (Saeme). A Famene possui excelência em diferentes aspectos, tais como Educacional, perfil dos docentes, qualidade da gestão e da infraestrutura disponível. A instituição tem ainda programas de residência médica e de aprimoramento, cursos de especialização e pós-graduação. Reforçamos ainda que a Famene é única Faculdade Privada na Paraíba com hospital conveniado exclusivo e 02 centros de saúde próprios. Tudo para proporcionar aos seus alunos um melhor desenvolvimento acadêmico.

A Direção

Comentários

comentários