Por que o PSTU rompeu com o PSOL

O PSTU de João Pessoa justificou por meio de nota os motivos que o levaram a romper com a chamada “Frente de Esquerda”. A professora Rama Dantas, que seria vice na chapa encabeçada por Victor Hugo (PSOL), vai disputar uma vaga na Câmara de Vereadores.

Confira a nota na íntegra: 

Porque rompemos com a Frente de Esquerda em João Pessoa

Normalmente, as eleições municipais são marcadas por questões específicas dos bairros e por campanhas clientelistas. No entanto, as eleições deste ano se dão em uma situação diferente e muito especial.

O país vive a maior crise econômica de sua história. São os trabalhadores e trabalhadoras e os setores populares os que estão pagando por ela com enormes sacrifícios. São mais de 11 milhões de desempregados. O preço dos alimentos sobe todos os dias. A renda média da população caiu 9% nos últimos três anos. A dos pobres, muito mais. O governo e os patrões planejam impor sacrifícios ainda piores: aumentar a idade mínima de aposentadoria para 65 anos; retirar direitos trabalhistas e cortar gastos sociais em Saúde e Educação. Enquanto eles enchem os bolsos com a corrupção e os roubos milionários de dinheiro público.

Por outro lado, durante muitos anos, os trabalhadores e o povo pobre viram os governos do PT como uma alternativa para melhorar suas condições de vida. Foram traídos. O PT se aliou com partidos burgueses de direita como o PMDB, o PSD e o PP, se atolou até o pescoço no mar de lama da corrupção e terminou adotando medidas contra os trabalhadores e o povo, que hoje o governo Temer trata de continuar.

O PSTU foi o primeiro a denunciar (e continua a fazer isso) que as eleições são manipuladas pelo poder econômico. Que os candidatos, inclusive a esquerda oportunista, são financiados pelos empresários e depois devolvem este dinheiro em “benefícios”, também chamados de propinas ou superfaturamentos em obras públicas.

Participamos das eleições para oferecer uma alternativa independente dos patrões e dos governos, uma alternativa de luta pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras e do povo pobre. Não aceitamos dinheiro de empresas nem de empresários.

Temos um programa com propostas em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, emprego, salários dignos, moradia, transporte, saúde e educação. Que os ricos paguem pela crise. Um programa que levante a luta contra este governo e todos os políticos exploradores e corruptos. Fora Temer e Fora todos eles!

No nosso estado, a situação da classe trabalhadora não é diferente, o governador “socialista” Ricardo Coutinho governa com mão de ferro, e trata o servidor de forma desumana, congelando os salários em um momento em que a inflação e o custo de vida aumentaram vertiginosamente, além disso os serviços oferecidos a população paraibana são cada vez mais escassos e caóticos, os/as trabalhadores/as não tem empregos, não tem segurança, não tem saúde e educação de qualidade e a lista de maldades se estende para todos os lados.

Na cidade de João Pessoa, não existe diferença entre o governo Cartaxo e o governo dos seus antigos aliados Ricardo e Dilma/Temer, na saúde o principal exemplo do descaso é o “Trauminha” em Mangabeira onde a população sofre a espera de um atendimento ou de uma cirurgia, com os servidores não há diferença no tratamento, os professores foram brutalmente atacados na última greve e desrespeitados com o descumprimento da lei do piso, se nacionalmente existem vários escândalos de corrupção, aqui o prefeito faz tudo para que CPI’s como a da Lagoa não aconteçam.

Para barrar estes ataques que os/as trabalhadores/as vem sofrendo é necessário construir uma grande greve geral para derrubar Temer e todos os demais, rumo a novas eleições sobre o controle dos trabalhadores, só com a luta da classe trabalhadora poderemos derrotar este governo e impedir ataques às nossas conquistas e conseguir novos avanços.

Neste sentido havia uma necessidade urgente de garantirmos a unidade da classe trabalhadora com um programa classista, e assim se desenhava a construção da Frente de Esquerda em João Pessoa. No dia 21 de julho, o PSOL realizou a sua convenção municipal em João Pessoa, nela foi homologada a candidatura de Victor Hugo para prefeito de João Pessoa, na atividade estavam presentes militantes de várias organizações e compondo a mesa estava a companheira Rama Dantas, então pré-candidata pelo PSTU a vice-prefeita em uma coligação com o PSOL. Estávamos dispostos a compor a Frente de Esquerda em João Pessoa por acreditarmos que aqui na Paraíba ela era possível pela postura diferenciada do PSOL, aqui não se aceitaria de nenhuma forma financiamento de empresas e empresários, como infelizmente aconteceu com o PSOL em outros lugares.

Uma candidatura para os trabalhadores e trabalhadoras tem de rechaçar explicitamente a política dos governos do PT de colaboração com os banqueiros, empreiteiros e corruptos, que levou o país a uma enorme crise econômica com mais de 12 milhões de desempregados e, agora, está totalmente envolvido nos escândalos de corrupção. A candidatura que o PSOL apresenta para prefeito, Victor Hugo, que é um conhecido lutador dos movimentos sociais e que continua na luta apesar de muitos terem se vendido e traído os trabalhadores.

Mesmo identificando no camarada Victor Hugo uma postura diferenciada, infelizmente o PSOL na Paraíba repete os mesmos erros do PSOL nacional com uma política de alianças que não faz parte do campo da classe trabalhadora, aqui estava compondo a Frente de Esquerda o movimento Raiz Cidadanista que tem como fundadora Luiza Erundina. Em São Paulo o partido cedeu a legenda para Luiza Erundina. Muitos podem não saber ou se lembrar, mas quando prefeita da capital paulista (1989-1992), Erundina não governou para os trabalhadores. Pelo contrário, enfrentou e reprimiu greves, como a dos professores e a dos rodoviários.  Após sua gestão à frente da cidade, rompeu com o PT para integrar o governo de Itamar Franco. Ingressou posteriormente no PSB, e chegou a ter o atual presidente interino, Michel Temer, como vice em sua chapa à prefeitura em 2004.Em uma recente entrevista, Erundina afirmou que poderá compor o seu governo na prefeitura de São Paulo com petistas.

É necessário que o PSOL de João Pessoa rompa com essa prática de alianças com partidos e organizações que não são da classe, que exija que os outros diretórios também façam o mesmo, pois não entendemos como o PSOL pode ser oposição a Cartaxo/PSD e Ricardo/PSB aqui na capital, e em Sousa por exemplo, apoia uma candidatura dos partido destes dois senhores.

Diante dos fatos, o PSTU vem publicamente anunciar, que não compõe mais a Frente de Esquerda em João Pessoa. A nossa convenção, realizada nesta sexta-feira dia 05 de agosto, aprovou por unanimidade a ruptura e o lançamento de nossas candidaturas. Não iremos neste pleito lançar candidaturas para o cargo majoritário e assim, mesmo discordando da política de alianças do PSOL, iremos chamar os/as trabalhadores/as de João Pessoa a votarem em Victor Hugo a prefeito de nossa capital por acreditarmos na trajetória de luta do camarada.

Lançaremos a companheira Rama Dantas como candidata a vereadora para mostrarmos a classe trabalhadora que a luta das mulheres é um problema de classes e que só a construção de uma sociedade mais justa e igualitária é que poderá realmente trazer as melhorias que tanto essa maioria de nossa sociedade tanto necessita.

Precisamos construir o “Fora Temer, Fora todos eles”, romper com os banqueiros, empreiteiros e grandes empresas e apresentar um programa operário e socialista. “Esta candidatura não é apenas pelo Fora Temer, mas também pelo Fora Cartaxo, Fora Ricardo Coutinho, Fora todos eles! Rumo a uma greve geral para derrubar todos eles!” afirmou Rama Dantas na convenção do PSTU.

Por uma João Pessoa para os/as trabalhadores/as, para a juventude e a população mais pobre! Basta de governarem para os ricos!

Por um governo dos/as trabalhadores/as baseado em conselhos populares, em que os/as trabalhadores/as de forma organizada, junto com a juventude mais carente, o movimento popular, os movimentos de luta contra a opressão, contra o machismo, o racismo e a LGBTfobia, decidam os rumos da cidade! Não precisamos nem queremos mais dos mesmos, queremos uma revolução pra mudar de verdade!

Tweet about this on TwitterShare on FacebookEmail this to someonePrint this page

Comentários

comentários